A Difícil Decisão Que Me Impediu de Fracassar, e Me Levou ao Sucesso

E se eu te dissesse que se você fizer apenas uma coisa, você pode alcançar todos os seus objetivos, por maiores que sejam…

Você faria?

Sério mesmo?

Bom, então aqui vai…

Discipline-se!

E aqui vai o que isso fez por mim…

A primeira experiência que eu tive com a disciplina, foi na escola, acredito que na sétima série.

Eu comecei a andar com alguns amigos que não queriam saber muito de estudar.

Eu era um dos poucos bolsistas de uma escola particular, e as aulas eram bem puxadas.

Eu sempre fui bom aluno, mas é óbvio que parando de estudar e prestar atenção nas aulas, eu começaria a ir mal, e foi o que aconteceu.

Eu quase repeti a sétima série. Nunca tinha passado por isso antes.

Mas quando eu vi que as coisas estavam apertando, tomei uma decisão.

Me afastei um pouco dos meus amigos. Parei de passar todas as tardes jogando bola. Todas as noites na rua, sem fazer nada.

E me tranquei no quarto.

Não fazia outra coisa que não fosse estudar. Todos os dias. Sem errar.

Todos os dias eu fazia dezenas de exercícios. No começo foi difícil. A decisão fácil era estar lá, com os meus amigos. Zuando, dando risada o dia todo sem se preocupar com nada.

Mas eu escolhi o caminho mais difícil. E os frutos vieram na hora das provas.

Minhas piores notas eram em matemática nesse ano. E depois de estudar, tive as melhores notas da classe.

Segunda experiência…

Eu sempre fui um adolescente bem magrelo. Era quase um raquítico.

Com 1,82 de altura, pesava 67kg. Era a cara da fome.

E com 19 anos, um amigo meu me chamou pra fazer musculação.

No começo eu não via muita graça, mas depois, me apaixonei pelo negócio.

Ganhei 12kg em menos de 3 meses, e parecia outra pessoa.

Eu não faltava na academia um dia sequer. Nunca quis ser um fisiculturista, ou competir.

A competição era comigo mesmo.

Embora naquela época eu fizesse tudo errado, talvez por aprender a treinar com caras que não sabiam o que estavam fazendo, e só queriam saber de aumentar os pesos sem se preocupar se estavam executando os movimentos da forma correta…ainda assim eu tive frutos com isso.

Comecei a ver vídeos do Arnold no Youtube, e comecei a aprender vários conceitos que eu usei em toda a minha vida. Essa fase foi muito foda pra mim.

Minha rotina era mais ou menos assim…

Acordava umas 5 e pouco da manhã, pegava um ônibus e ia pra academia, que ficava entre minha casa e meu trabalho.

Não tinha outra opção, pois as academias do meu bairro abriam depois das 6, e não dava tempo de chegar no trampo no horário.

Aí eu treinava, tomava banho lá mesmo, e ia trabalhar.

Saia as 17:30 e pegava mais um ônibus lotado na av Rebouças até a faculdade, com uma mochila que pesava uns 30kg com as marmitas do dia, as roupas do treino, e as coisas da facul. Fiquei até meio corcunda na época por causa dessa porra.

Aí chegava na faculdade por volta das 18:30, quando o trânsito infernal permitia, e saia da aula umas 22 e pouco.

Chegava em casa as 23h, exausto, tomava banho, fazia a última refeição, e ia dormir lá pra meia noite.

Fiz isso por 3 anos seguidos. Sem faltar um dia sequer. É sério, não estou brincando.

Nunca faltei no trabalho, nem na academia (na facul sim kkkk) durante esses 3 anos.

Não faltava nem quando eu ficava doente.

Embora eu não tenha colhido tantos frutos financeiros nessa época, pois ganhava 700 reais por mês, eu aprendi demais, e fiquei gigante kkkk, e levo isso comigo até hoje.

Agora a terceira experiência…

Depois de trabalhar por 3 anos, eu comecei a ficar desmotivado.

Eu confesso que não entrei nesse trabalho por dinheiro. Eu simplesmente queria aprender a trabalhar. E sou muito grato pela oportunidade que o meu chefe me deu. Pois eu vou ser sincero, se eu estivesse no lugar dele, eu não me contrataria.

E nos dois primeiros anos eu adorei meu trabalho. Porém, no terceiro, eu percebi que nada mudava. Eu fazia sempre as mesmas coisas, e parei de aprender.

E aquilo me deixou bem mal. Eu fiquei até meio que em depressão naquela época.

Eu acabei percebendo que nós, seres humanos, fomos programados a evoluir.

Se não temos um objetivo específico, ou algo que nos move, a vida fica uma merda.

Foi então que tomei a decisão de abrir o meu próprio negócio.

Fiz sociedade com um amigo da facul, peguei um empréstimo de 16 mil no banco, e fui com a cara e a coragem.

Não vou entrar em detalhes nesse post, vou deixar de tema pra um próximo, mas em 2 meses eu saí do negócio, com uma mão na frente e outra atrás, com uma dívida inteira pra pagar sozinho.

Se eu fosse pagar todos os boletos do empréstimo, os 16 mil se transformariam em uns 40.

E eu, que tinha ganho no máximo 700 reais por mês até aquele momento da vida, não fazia ideia de como poderia pagar isso.

Porém, eu descobri uma possibilidade. Vi que haviam maneiras de criar negócios pela internet. Porém, naquela época, ainda era tudo muito novo. Não haviam informações em abundância como existe hoje.

O que eu fiz:

Assinei um plano de hospedagem por um ano. Comprei dois domínios de sites.

E prometi a mim mesmo:

Eu tenho 1 ano pra sair dessa situação.

Não tinha dinheiro nem pra pagar a internet.

Minha mãe ganhava 600 reais por mês cozinhando pra fora, com quase 60 anos de idade.

E meu irmão ganhava uns mil e pouco, numa loja de roupas sociais.

Ele pagava a internet, e eu tinha metade do dia pra usar o computador.

Na outra metade, me afundei nos livros.

Porém, não foi nada fácil.

Eu estudei, estudei, estudei, e embora tivesse a esperança que os sites dessem certo e me gerassem grana, todos ao meu redor duvidavam e queriam que eu desistisse.

Minha mãe falava:

Para de ficar brincando nesse computador e vai trabalhar. Vai arrumar um emprego no correio. Faz igual seu primo. E não sei o que…

O dia todo buzinando no meu ouvido. O telefone tocando o dia todo com as empresas me cobrando.

Tomei mais uma decisão.

Eu ia me comprometer a produzir conteúdos e fazer outras ações de divulgação todos os dias. Sem errar.

Não tinha sábado, não tinha domingo, não tinha feriado.

Todos os dias.

Até quando? Até dar certo…

E foi isso que eu fiz…

Esse sem dúvidas foi um dos períodos mais difíceis da minha vida. Talvez empatado com a morte do meu pai, quando eu tinha 12 anos.

Porém, eu nunca estive sob tanta pressão.

Dívidas são uma merda. Algumas pessoas não ligam se estão devendo. Eu me sentia péssimo. Era como se tivesse um saco de 50kg de cimento nas minhas costas.

Mas eu ia dar um jeito. Eu tinha que dar.

Parei de sair de casa, parei de treinar, parei de sair, parei com tudo.

Meus amigos me enchendo o saco pra ir pra balada. E eu recusava, inventava desculpas, mas eu não tinha dinheiro nem pra comprar um sanduíche, quanto mais pra sair.

Porém, nem que eu tivesse uma reserva, eu tomaria outra decisão.

Eu decidi que ia até o final, até dar certo.

Fiz até alguns desafios.

Só vou fazer a barba quando esses sites fizerem a primeira venda.

Depois de 3 meses eu parecia o Bin Laden, e fui obrigado a fazer a barba porque aquela porra não parava de coçar.

Resumindo a história, depois de 5 meses, um dos meus sites fez a primeira venda de um produto que eu indicava. Eu me lembro até hoje dessa porra. Quando eu vi o e-mail avisando que eu tinha ganho uma comissão, eu quase chorei, na moral!

Tá bom, eu chorei, mas não espalha essa porra.

Eu já fiz dezenas de milhares de vendas na internet de todos os tipos de produtos que você pode imaginar depois disso, mas essa primeira, foi a mais importante de todas, pois ela me confirmou que eu não estava maluco. Que o meu sonho realmente era possível.

E vou te falar…

Fazer as mesmas coisas todos os dias até dar certo não foi fácil. Eu quase desisti várias vezes.

Eu ficava puto, frustrado, por não ter nenhum resultado por tanto tempo.

Ficava vendo vídeos motivacionais no Youtube pra me animar. Isso foi importante.

Ficava ouvindo reprogramações mentais todos os dias pra mudar as crenças negativas que a minha mãe implantou na minha cabeça tentando me proteger, isso também foi muito importante.

Mas o que mais fez a diferença, foi a disciplina.

A disciplina que me fez trabalhar todos os dias, sem errar, em uma coisa que eu não tinha a certeza que iria dar certo. Mas que eu desejava mais do que tudo que desse.

No dia da primeira venda, a frase do Jim Rohn finalmente fez sentido pra mim…

Na vida existem duas dores. A dor da disciplina, ou a dor do arrependimento.

A diferença é que a dor da disciplina pesa gramas. E a dor do arrependimento, toneladas.

Se eu tivesse desistido naquela época, provavelmente estaria fudido, em algum lugar, imaginando o que eu poderia ter conseguido na vida se tivesse continuado.

Ainda bem que eu não desisti.

Termino esse post com o seguinte pensamento:

Faça o que é fácil, e tenha uma vida difícil.

Faça o que é difícil, e tenha uma vida fácil.

Que vida você quer ter?